PT

Caso Geralda Pedra Da Macumba: Uma História De Fé E Superação

Você conhece o caso geralda pedra da macumba? Esse misterioso caso ocorreu em janeiro de 2012 em Mairiporã, São Paulo, e chocou o Brasil. Geralda Guabiraba, uma dona de casa de 54 anos, foi encontrada morta ao lado de uma estrada, com o rosto mutilado e vários ferimentos no corpo. A investigação policial durou mais de dois anos e concluiu que Geralda cometeu suicídio, mas muitas dúvidas permanecem. Acompanhe o Bonshop para saber mais sobre esse caso.

Caso Geralda Pedra da Macumba: Uma História de Fé e Superação
Caso Geralda Pedra da Macumba: Uma História de Fé e Superação

Fato Detalhe
Nome da vítima Geralda Guabiraba
Idade da vítima 54 anos
Local da morte Mairiporã, São Paulo
Data da morte Janeiro de 2012
Condição da vítima Dona de casa
Causa da morte Suicídio por ingestão de veneno de rato
Estado do corpo Rosto mutilado, sem pele ou olhos, e vários ferimentos no corpo
Investigação policial Mais de dois anos de investigações
Conclusão da polícia Suicídio
Acusações contra os peritos forenses Erros graves e irregularidades na autópsia e no exame da cena do crime
Encerramento do caso 2014

I. Morte misteriosa de Geralda Guabiraba na Pedra da Macumba

O corpo de Geralda Guabiraba foi encontrado em janeiro de 2012

O corpo de Geralda Guabiraba foi encontrado em janeiro de 2012, ao lado de uma estrada em Mairiporã, São Paulo. Ela estava com o rosto mutilado, sem pele ou olhos, e seu corpo apresentava vários ferimentos. A polícia inicialmente suspeitou de homicídio, mas após mais de dois anos de investigações, concluiu que Geralda cometeu suicídio ingerindo uma dose letal de veneno de rato.

Investigação policial concluiu que Geralda cometeu suicídio

A investigação policial durou mais de dois anos e ouviu dezenas de testemunhas. A polícia também realizou perícias no local do crime e no corpo de Geralda. A conclusão da polícia foi de que Geralda cometeu suicídio ingerindo uma dose letal de veneno de rato. No entanto, muitas dúvidas permanecem sobre o caso, e até hoje há quem acredite que Geralda foi assassinada.

Fato Detalhe
Nome da vítima Geralda Guabiraba
Idade da vítima 54 anos
Local da morte Mairiporã, São Paulo
Data da morte Janeiro de 2012
Condição da vítima Dona de casa
Causa da morte Suicídio por ingestão de veneno de rato
Estado do corpo Rosto mutilado, sem pele ou olhos, e vários ferimentos no corpo
Investigação policial Mais de dois anos de investigações
Conclusão da polícia Suicídio
Acusações contra os peritos forenses Erros graves e irregularidades na autópsia e no exame da cena do crime
Encerramento do caso 2014

II. Investigações iniciais

Exame do corpo

O corpo de Geralda Guabiraba foi encontrado ao lado de uma estrada em Mairiporã, São Paulo, em janeiro de 2012. Seu rosto estava mutilado, sem pele ou olhos, e seu corpo apresentava vários ferimentos. A polícia inicialmente suspeitou que ela havia sido assassinada com um instrumento afiado, possivelmente como parte de um ritual.

No entanto, os exames periciais realizados no corpo de Geralda não encontraram nenhuma evidência de violência. Os médicos legistas concluíram que os ferimentos em seu rosto e corpo foram causados por roedores que se alimentaram de seu cadáver após sua morte.

Investigações na cena do crime

A polícia também realizou uma investigação na cena do crime, mas não encontrou nenhuma evidência de luta ou de arrombamento. Não havia sinais de que Geralda tivesse sido sequestrada ou forçada a ir até aquele local.

A polícia também entrevistou moradores da região, mas ninguém viu ou ouviu nada suspeito na noite em que Geralda morreu.

Conclusão inicial da polícia

Com base nas evidências coletadas, a polícia inicialmente concluiu que Geralda Guabiraba havia cometido suicídio. A polícia acreditava que ela havia ingerido uma dose letal de veneno de rato e que, em seguida, havia caminhado até a estrada, onde morreu.

No entanto, essa conclusão foi contestada por familiares e amigos de Geralda, que não acreditavam que ela fosse capaz de tirar a própria vida.

Hipóteses iniciais da polícia Evidências
Assassinato Rosto mutilado, sem pele ou olhos, e vários ferimentos no corpo
Suicídio Nenhuma evidência de violência no corpo

Investigações iniciais
Investigações iniciais

III. Conclusão policial

Após mais de dois anos de investigações, a polícia concluiu que Geralda Guabiraba cometeu suicídio ingerindo uma dose letal de veneno de rato. Essa conclusão foi baseada em uma série de evidências, incluindo o depoimento de testemunhas, o laudo da perícia toxicológica e o exame do local do crime. A polícia também descartou a hipótese de homicídio, pois não encontrou nenhum indício de que Geralda tenha sido assassinada.

Conclusão policial
Conclusão policial

IV. Desfecho do caso

Após mais de dois anos de investigações, a polícia concluiu que Geralda cometeu suicídio ingerindo uma dose letal de veneno de rato. No entanto, muitas dúvidas permanecem sobre o caso, e até hoje há quem acredite que Geralda foi assassinada. A polícia também acusou os peritos forenses de cometerem erros graves e irregularidades na autópsia e no exame da cena do crime, o que levou a falsas suposições e especulações sobre o caso. O caso foi encerrado e arquivado pelo sistema de justiça em 2014.

Conclusão da polícia Acusações contra os peritos forenses
Suicídio Erros graves e irregularidades na autópsia e no exame da cena do crime

Related Articles

Back to top button